12 passos para emagrecer

Encontrei perambulando pela Internet e quero compartilhar com vocês. São 12 dicas para emagrecer, da escritora portuguesa Isabel do Carmo. Colocarei os 12 títulos e clique em Ler todo o texto para ver com detalhes. Peço desculpas por possíveis erros, pois sendo português de portugal, tentei deixar fácil de entender mas com o mínimo de alterações possível.

1. Veja se e quanto é obeso
2. Perceba o que é que mudou
3. Some as calorias
4. Olhe para a luz de alerta
5. Decida
6. Não engane a si próprio/a
7. Tome medidas psi
8. Reduza as calorias ingeridas
9. Faça regime polifracionado
10. Ande a pé
11. Aumente o exercício
12. Organize se colectivamente

12 passos para emagrecer

1. Veja se e quanto é obeso
Deve pesar­se e saber a sua altura. Não vale a pena iludir-se com pequenos truques de auto-satisfação. Esses truques consistem em tentar se convencer de que tem ainda o peso que tinha há 3 anos ou pesar-se numa balança enferrujada de banheiro, que obviamente está estragada. Quanto à altura, deve encarar de frente a ideia de que os saltos acrescentam uns 2 a 3cm. Guarde os números só para si, evite divulgar na família ou entre amigos. Mas assuma-os, caia na real. Faça o cálculo do seu Índice de massa corporal (IMC) e veja em que categoria de excesso de peso você está.

2. Perceba o que é que mudou
Perceba se está numa fase dinâmica da obesidade, ou seja, se a gordura está em fase de aumentar e acumular se ou se está numa fase estável. Se está numa fase de aumento de peso, aparentemente inexplicável, examine bem se:
• não mudou dos transportes públicos para o carro;
• não mudou as funções no emprego e diminuíram o movimento;
• passou a comer noutro restaurante;
• passou a ver mais televisão;
• ligou se à Internet e ficou colado/a ao monitor;
• deixou de ir dançar às sextas e sábados;
• considera que come pouco, mas passa horas vendo televisão, comendo bolachas de água e sal, que alterna com bolachas integrais. E no intervalo vai buscar fruta na cozinha;
• agora que tem uma vida a dois arrumou um grupo de casados, que uma vez por semana faz uma grande janta;
• passou a beber um copo de alguma durante a refeição, coisa que antes não fazia;
• deprimiu e agora não pensa em fazer nada, apenas ficar parada/o;
• as suas menstruações estão irregulares e lhe aparecem alguns pêlos;
• começou a tomar um medicamento novo;
• a sua avó ou o seu amado/a sempre lhe presenteia com deliciosos bombons;
• no emprego passou a ser hábito uma senhora vir no meio da manhã vender guloseimas para um pequeno lanche;
• na escola instalaram uma máquina de refrigerantes e salgadinhos;
• passou a ter a mania de comer pouco durante o dia.

3. Some as calorias
Tente, sem truques, somar as calorias que ingere ao longo do dia com a ajuda da tabela. Sem truques pressupõe que não vai contar só as calorias das refeições, mas também as dos intervalos. Não se esqueça do vinho, dos refrigerantes, das bolachas… Não se esqueça que aquilo que come de vez em quando também entra para a contagem.

4. Olhe para a luz de alerta
Veja se tem doenças associadas ou em consequência da obesidade: ovário poliquístico, hiper-tensão, colesterol alto, triglicéridos altos, diabetes, doença coronária, fígado gordo, hiperplasia do endométrio, artroses. Nestas situações o controlo médico é obrigatório.

5. Decida
Se tem um ligeiro excesso de peso, estabilizado há muito tempo e está na adolescência, pense duas vezes antes de iniciar tentativas de perda de peso, mais ou menos intempestivas, em busca de “peso ideal”. Emagrecer não é chave para a felicidade. Muitas vezes, as tentativas de perda de peso, nessas circunstâncias, são mesmo prejudiciais. Mas se não é esse o caso, se está engordado ou se tem um peso de risco para a saúde ou de risco para a sua auto estima, decida. Essa decisão deve ser um clic dentro da sua cabeça. Do outro lado esperam na/o os “ex”: fumadores, alcoólicos e outros dependentes. Muitos conseguem libertar-se dessas substâncias tóxicas. A comida hipercalórica não é ilegal, é até bastante promovida, mas também é tóxica. Ee tiver recaídas, levante-se, nem tudo está perdido.

6. Não engane a si próprio/a
O que engorda realmente é a comida hipercalórica, que geralmente não é a parte principal da refeição, mas funciona como extra. O sedentarismo faz o resto.
Se acha que “come à base de cozidos e grelhados” e que “no almoço é só um peixinho com salada” e que, apesar disso, fica “inchada/o”, olhe para o outro lado do espelho. Pode ser que esteja lá um diabinho…

7. Tome medidas psi (desculpe, não consegui traduzir isso para um Português do Brasil)
Estas são as mais difíceis e nesse campo pode precisar de ajuda.
• É preciso dar uma “grande volta”… No entanto, as “grandes voltas” não se obtêm num dia. É gradualmente que os fatores de mudança vão se acumulando, em altos e baixos. Também é necessário saber que uma “grande volta” não é mudar de personalidade, nem de identidade, mas é aprender a administrar melhor os pontos difíceis da nossa personalidade. Não se acorda um dia mudado, mas é possível que se possa olhar para trás e pensar “como eu mudei para melhor”. A mudança não pode ser para agradar aos outros mas sim para estar melhor consigo próprio e portanto para evitar sofrimento. Muitas vezes isso passa de fato por evitar o sofrimento dos que nos rodeiam e também por agradar-lhes.
• O regime para perder gordura é um regime hipocalórico. Portanto tem um défice de calorias em relação ao que se gasta. Não se iluda, não é apenas um “regime saudável”. Daqui decorre que deve fazer um sacrifício, um esforço de vontade.
• Não esteja à espera de recompensas e reconhecimentos dos outros. Encontre satisfação em si própria/o. Esta parte é a mais difícil… de acordo com o que tenho observado ao longo da vida, sobretudo para as mulheres, que vão fabricando uma história de mal amadas, real ou imaginada.
• Ter controlo sobre o corpo pode ser uma fonte inesgotável de prazer. De certeza que isto tem uma explicação bioquímica. mas alguns praticantes de certas religiões já o descobriram antes da bioquímica: no cristianismo, no budismo. Assumindo formas e filosofias diversas na relação do indivíduo com o universo.
• assuma que tem direito a ser feliz e que o descontrole do corpo é fonte de infelicidade.
• assuma que tem o direito e o dever de proteger o seu corpo. A saúde não se compra na loja. Aí está o que a sociedade de consumo ainda não conseguiu. No entanto, muitas pessoas comportam se como tal. Correm a médicos, nutricionistas, lojas de produtos “naturais”, experimentam regimes, inscrevem se em academias, compram aparelhos, roupas especiais. E não conseguem… onde é que estará o erro?
• Às vezes, pensar em primeiro lugar nos filhos, no marido, na mulher, na sogra, na mãe, é uma forma de fugir de si próprio/a.
• Pense que tem o direito a errar, sem que isso seja uma catástrofe, uma mancha, uma nódoa.
• Assuma que não pode dar infinitamente, para estar bem com os outros. Que deve esperar que também lhe dêem alguma coisa. Os afetos, ou vivem na reciprocidade ou criam raiva. E a raiva transforma-se muitas vezes em ingestões compulsivas…
• Veja se consegue saborear a comida, estabelecendo um limite.
• Não atribua sempre aos outros a responsabilidade das suas falhas.
• Não arranje “desculpas esfarrapadas”.
• Encontre prazer nas coisas que não se compram: andar a pé, passear, ver lugares novos, ler, conversar.
• Encontre formas de prazer em trabalhos que se fazem com as mãos: cerâmica, pintura, desenho, modelagem, colagens, escrita, jardinagem. Escolha já, não adie.
• Pense por si próprio/a, não esteja à espera de pensar como os outros.
• Peça apoio. Mas não mendigue apoio…
• Perca tempo. Goze o tempo.
• Tome a decisão de perder peso sem ser “empurrado/a” pela família. Nesse caso falhará.
• Não permita que se sente á sua mesa uma polícia de calorias. É mais um caso em que a repressão não dá nada… Não transforme as refeições em batalhas ou em lutas mudas.

8. Reduza as calorias ingeridas
Para tal é necessário retirar a comida hipercalórica. Faça as contas e constitua um regime de 1200 quilocalorias.

9. Faça regime polifracionado
Faça pelo menos 6 refeições por dia. Dê importância ao café da manhã e ao almoço.

10. Ande a pé
Todos os dias ande pelo menos 30 minutos a pé. Aos fins de semana vá passear a pé com a família ou amigos.

11. Aumente o exercício
Se estiver em forma e se isso lhe dá prazer vá então fazer exercício programado, ginástica ou esporte.

12. Organize se coletivamente
No bairro, na escola, no trabalho, organize um grupo para reivindicar espaços físicos e temporais para o exercício físico. Reclame mudanças alimentares nos bares das escolas. Forme comissões de prevenção do excesso de peso. Alguns destes passos são passinhos, outros são passões… encontra aqui alguém que muito bem compreende o problema. Porque tenho excesso de peso… e conheço a batalha. (Isabel do Carmo)

Isa

Share This Post

Recent Articles

4 Responses to “12 passos para emagrecer”

  1. Vanilda Oliveira disse:

    “Amei essa màteria,mas,pude perceber que,um dos fatores mais importante è,justamente,o psicòlogico..
    A minhas emoçoes sempre foram sintomatizadas,atràves do estomago,jà houve època em que,mediante a possibilidade de fazer uma viagem,com a qual,sonhara tanto,cheguei a perder,aproximadamente,uns 10 kilos,durante o perìodo em que esperava que a mesma viesse a ser confirmada,simplesmente,as dores nessa regiao,tornaram-se tao intensas que,atè mesmo pra ingerir um copo d”àgua,era considerada, uma “missao impossìvel”,agora,imagine ao se tratar de algo sòlido.Mas,passado a ansiedade,independente do resultado,em poucos dias,esse processo se normaliza.
    O que leva-me a crer que,a felicidade pode ser considerado um excelente antìdoto,a dificiculdade està justamente,em sabermos dosà-lo ou nao….”

  2. Olá …adoorei seu blog!!Sou fâ da Profª Isabel Castro e ao pesquisar sobre os 12 passos, encontrei-te, bem sou filha de portugueses e o sotaque é uma coisa que nos pega, que o diga a escrita,e vi que traduziste muito bem,mas ao ser sincera em seu item 7 quando dizes qe não sabes o que quer dizer “tome medidas psi” se me permite traduzir, quer dizer assuntos relacionados com área psico-motora,fenomenos parapsicológicos, ou seja auto-controle.beijos e se tiveres tempo, visite meu blog, seras bem vinda!

  3. rosangela disse:

    tudo bom é bom vc anda todos dias, mais é muito dificio perde peso.

  4. Cyn Cardoso disse:

    Olha, excelente post! Bate certinho com umas coisas que ando pensando.
    Parabéns!

Leave a Reply

*

© 2018 Eliminando Peso. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Powered by WordPress · Designed by Theme Junkie