20 dicas para emagrecer sem passar fome


Fazer dieta sem passar fome parece bom demais para ser verdade? A mudança de pequenos hábitos, a substituição de alguns alimentos e uma atenção redobrada para com o seu corpo e a forma como o trata é o suficiente para perder aqueles quilinhos a mais e sem grandes sacrifícios.

  1. Comece a prestar atenção ao seu corpo – quando é que fica com fome? Porquê? Quando é que normalmente come? Porquê? Saiba distinguir quando come porque tem realmente apetite de quando come apenas por “gulodice”, por estar aborrecido ou porque alguém à sua volta está a petiscar alguma coisa. Para domar o seu apetite e perder peso há que comer bem! Parece um contra senso? Não é!
  2. Decifrados os momentos de verdadeira fome, há que comer, mas coma apenas até se sentir saciado, ou seja, sem fome. Isto porque normalmente comemos até nos sentirmos cheios, o que significa que já foi demais! Se ficar novamente com fome antes do que é habitual, não faz mal. Coma até que deixe novamente de ter fome. Em pouco tempo habituar-se-á a “sentir” o seu corpo e a responder-lhe de forma natural e eficaz. Comer mais vezes ao longo do dia, mas em menor quantidade, tem grandes vantagens!
  3. Passar fome ou saltar refeições não é uma dieta, é prejudicial para a saúde. Os estudos comprovam que quem emagrece naturalmente, com recurso a uma dieta progressiva e saudável, terá maior probabilidade de manter o seu peso a longo prazo, ao contrário de alguém que recorre a uma dieta “louca” e rápida. Sim, pode ver resultados imediatos, mas a longo prazo vai perdê-los de vista num abrir e fechar de olhos!
  4. Nunca é demais focar a importância de um bom pequeno-almoço. Se sair de casa sem a energia necessária para enfrentar mais um longo dia, não é apenas a sua barriga que vai reclamar! O cansaço, a desconcentração e a má disposição irão tomar conta de si e, quando a barriga começar a dar horas, vai devorar tudo o que lhe aparecer à frente… é aqui que surgem misturas alucinantes como o café e o rissol ou uma Coca-Cola e uma empadinha a meio da manhã! Se não estiver habituado à primeira refeição do dia, treine o seu corpo para aprender a gostar novamente do pequeno-almoço: comece com um iogurte ou uma peça de fruta, adicione uma torrada, uma malga de cereais, um café com leite, um sumo natural… não tarda nada começa a acordar cheio de fome e vai sentir-se em forma todo o dia!
  5. Dentro do possível, faça de cada refeição, um verdadeiro ritual. Concentre-se nos alimentos, coma devagar, mastigue bem, saboreie cada garfada, fazendo várias pausas até terminar. Se seguir este processo será mais fácil aperceber-se do momento em que já está satisfeito. Isto também implica que não pode aproveitar o almoço para fazer aquelas cinco mil chamadas ou responder a uma tonelada de emails que estão à sua espera há dois dias. Reserve sempre pelo menos meia hora na sua agenda para desfrutar de cada refeição.
  6. Quando se sentar à mesa, procure não encher o prato em demasia, se não, vai sentir-se na obrigação de comer tudo, mesmo que já não lhe apeteça nem mais uma garfada. Menos é mais… e vai ter oportunidade de comprovar isso mesmo!
  7. Analise a sua dieta actual, principalmente as comidas que engordam ou que se enquadram na roda de alimentos pouco sadia. Engordamos por um motivo muito simples: ingerimos mais calorias do que aquelas que gastamos. Por isso, há que cortar o mal pela raiz, ou seja, eliminar (ou reduzir) o consumo de alimentos que não condizem com uma alimentação saudável, começando pelos doces, as refeições pré-cozinhadas, os fritos, os petiscos e os salgadinhos; os refrigerantes e as bebidas alcoólicas; as carnes gordas (as de ganso e de pato também se incluem aqui); os molhos muito saturados; queijos gordos, os enchidos e as salsichas. Já percebeu não já? Evite estes alimentos porque são altamente calóricos, não saciam e não trazem qualquer benefício nutritivo, havendo, felizmente, muitos substitutos à sua altura!
  8. Segue-se então a substituição de alguns alimentos, pequenos gestos que vão fazer uma grande diferença na sua ingestão diária de calorias. Pode, por exemplo, trocar o leite, a manteiga, o queijo e os iogurtes meio gordos, pelos magros; em vez de maionese, opte por colocar mostarda nas suas sandes; em vez de açúcar, tome o seu café com adoçante ou abdique de ambos; troque um hambúrguer por uma sanduíche de frango com tomate e alface; esqueça as batatas fritas e asse uma batata em papel de alumínio para acompanhar o seu bife grelhado; quando for à padaria traga pão de mistura, centeio ou integral, em vez das habituais bicas. Como vê, existem muitas alternativas para saciar o seu apetite de forma saudável e… apetitosa!
  9. Beba muita água! Cerca de 70% do corpo humano é composto por água, por isso, faz todo o sentido ingerirmos um e meio a dois litros deste precioso líquido por dia. Para além de hidratar, ajuda a eliminar toxinas e não tem calorias! Por vezes o seu corpo confunde-se e emite sinais de fome quando na realidade o que tem é sede. Da próxima vez que sentir fome, beba um copo cheio de água. Em substituição da água, ou só para variar, faça uma bela caneca de chã, privilegiando o de cidreira, tília, jasmim ou roseira brava. Modere a ingestão de café (mais de 3 por dia começa a ser prejudicial) e de vinho tinto (1 copo por dia é um poderoso antioxidante).
  10. Diga sim aos alimentos com alto teor de água e fibras, como a fruta e os legumes. Devido à sua constituição, são comidas que satisfazem o nosso apetite em quantidades menores e, claro, com muito menos calorias! É daqui que vem a (bem sucedida) estratégia de comer, antes das principais refeições, uma boa sopa ou salada. Para além de ser uma entrada que satisfaz o mais voraz dos apetites, só o seu aspecto já “enche”, o que o leva a comer muito menos quando chegar o prato principal… e a melhor parte é que não vai ficar com fome.
  11. Junte vegetais a tudo: salteie com massa ou arroz, acompanhe com um peixe grelhado, como recheio de uma boa omelete ou para fazer uma pizza vegetariana. Fonte de energia preciosa, os vegetais ajudam a acelerar o seu metabolismo.
  12. Faça da fruta o seu snack de eleição! Para além de saciar a fome, está recheada de vitaminas e nutrientes e há uma grande variedade por onde escolher. O seu organismo e paladar agradecem o facto de não terem que comer sempre a mesma coisa!
  13. Comer mais, sentir-se saciado e perder peso é possível, se escolher alimentos como: ovos (rico em proteínas); sopas (poucas calorias e muitas vitaminas, minerais, fibras e água); guisados; cereais, massa e pão integral; carne magra (especialmente frango e peru); peixe (possui Ómega 3, uma gordura saudável e fósforo, que é excelente para o cérebro), tofu, nozes, leguminosas (ervilhas, favas, feijão, soja, grão) e legumes (os de folha escura fornecem cálcio, ferro e antioxidantes).
  14. Use e abuse das fibras! Estas maravilhas da dieta moderna enchem e demoram a digerir, o que o vai deixar satisfeito durante mais tempo. Como não são absorvidas pelo organismo, são ainda o aliado perfeito para regular o trânsito intestinal.
  15. A ideia não é banir os doces da sua vida por completo, mas sim alertá-lo para as artimanhas que estas pequenas delícias nos preparam: apetece-nos uma mousse de chocolate que devoramos em dois tempos, sentimo-nos bem, mas não tarda nada (sim porque este género de alimento não sacia!), os níveis de glicose descem vertiginosamente e o resultado? Queremos outra mousse e porque não uma fatia de cheesecake!? Se comer bem ao longo do dia, todos os dias, estes ataques súbitos e vorazes têm tendência a desaparecer e vai passar a saborear os doces de uma forma mais natural e equilibrada. Uma vez por semana, os doces são um mimo, mas se recorrer a estas bombas calóricas para matar a fome, prepare-se para dar as boas-vindas aos quilinhos que perdeu no mês passado.
  16. Sabia que uma batata média tem cerca de 100 calorias quando cozida, mas 700 se for frita!? Para manjares rápidos, saborosos e nutritivos opte por cozer, grelhar ou assar os alimentos, evitando ou reduzindo a utilização de óleos, azeites, manteigas e margarinas. Cozinhar com sabedoria é simples! Recorra às panelas de pressão ou a vapor, sem esquecer o forno e o microondas e, na hora de pegar nos tachos, escolha os antiaderentes.
  17. Comer fora pode muitas vezes “acabar” com um regime equilibrada, mas não tem necessariamente de ser assim. Algumas das dicas já mencionadas valem tanto ou mais quando se alimenta fora de casa: comece sempre por uma sopa ou salada para diminuir, à partida, a ingestão de calorias extra; evite os molhos, as natas e a manteiga… e por esta ordem de raciocínio, o cesto do pão; como acompanhamento opte por saladas e legumes em detrimento das habituais batatas e arroz; quando confrontado com a dupla b & a, escolha apenas um, nunca os dois! A sobremesa pode ser “fatal”, por isso, uma salada de fruta ou um sorvete é sempre uma boa opção. Claro que se estiver a celebrar uma ocasião especial ou se não tem cometido grandes excessos, não é uma bela fatia de bolo de chocolate que vai arruinar a sua saúde… pelo contrário!
  18. Uma alimentação saudável deve ser variada, não só para permitir a ingestão dos nutrientes essenciais ao nosso bem-estar (proteínas, hidratos de carbono, vitaminas, sais minerais e gorduras), mas também para nos satisfazer, evitando assim os ataques constantes de desejos por salgadinhos ou pastas de chocolate inteiras! Para ajudar, imprima esta cábula e coloque-a na porta do frigorífico:
    4 – 11 porções de hidratos de carbono (cereais, pão, arroz, massa…)
    3 – 5 porções de hortícolas
    1 – 2 doses de leguminosas
    3 – 5 doses de frutos
    2 – 3 doses de peixe ou carne, leguminosas e ovos
    2 – 3 porções de lacticínios
    Se seguir este plano alimentar, os quilos vão desaparecer e você será um exemplo de quem tem saúde para dar e vender!
  19. Uma alimentação salutar só tem a ganhar se a ela aliar uma rotina de exercício físico. Muito ou pouco, o importante é mexer-se pelo menos três vezes por semana. O motivo é muito simples: queima calorias, o que reduz a gordura, o que aumenta a massa muscular, o que acaba por acelerar o metabolismo, o que, por sua vez, queima calorias (mesmo enquanto dorme!). É dos melhores ciclos viciosos que existem! Para além de se sentir melhor consigo próprio, vai viver cada dia com mais energia e produtividade, uma atitude que até o vai ajudar a manter o regime alimentar. Está convencido?
  20. Emagrecer de forma natural e saudável não tem de ser sinónimo de muitas privações ou horas infinitas com o estômago colado às costas! É, acima de tudo, uma questão de estilo de vida. Para resultados duradouros e um bem-estar global, invista numa relação estável com a roda dos alimentos, sem esquecer o exercício e outros passatempos como estar com os amigos, viajar ou ler. Assim, a comida deixa de ser uma obsessão e é você que passa a estar em primeiro plano!

Fonte: A Minha Dieta

Share This Post

Related Articles

Leave a Reply

*

© 2014 Eliminando Peso. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Powered by WordPress · Designed by Theme Junkie